27 de novembro de 2014

iogurte? hum... assim já gosto!

já vos tinha contado que a Clarinha não achou muita piada ao iogurte, por ser um alimento mais frio ou pelo seu sabor diferente, a verdade é que a C não gostou, mas comia, devagar... devagarinho, mas lá comia tudo.

depois de experimentar algumas vezes o iogurte simples decidi usar um truque...


guardei uma colher de sopa da maça cozida do almoço e ao lanche adicionei-a ao iogurte (à temperatura ambiente)


depois foi só misturar e dar à Clarinha... que devorou, "qual iogurte qual quê..." a C adorou e reclamava quando a colher seguinte demorava um pouco mais :)

mas a C não vai comer sempre iogurte com fruta... agora vou diminuindo a quantidade de fruta, assim a pouco e pouco, o sabor do iogurte vai ser mais predominante e a C vai acabar por comer o iogurte simples e gostar... o objetivo é a C gostar de tudo e não desistir à primeira reação negativa!

beijinhos da Cláudia e da Clarinha

25 de novembro de 2014

Papa de Aveia

Ingredientes:
30g farelo de aveia
50 mL água
100 mL leite habitual do bebé

Utensílios:
Caçarola
Prato do bebé
Colher


1) Misture ao farelo a água, pode deixar repousar ou passar diretamente para a caçarola.



2) Na caçarola coza a aveia em lume médio-baixo durante 5-10 minutos, pode ser necessário adicionar mais um pouco de água.



3) Quando estiver cozida retire a aveia do fogão.





4) Depois, adicione o leite do bebé, já quente, gradualmente à aveia, até obter a consistência desejada.



Dificuldade: * (fácil)

------------

24 de novembro de 2014

que manga docinha!

puré de manga... rico em vitaminas A, B e C, e até contém cálcio e ferro, uma delícia... a Clarinha provou e aprovou, claro! era super docinha... 

entre os frutos desaconselhados antes dos 12 meses de idade, os frutos tropicais não estão incluídos, desses vou falar depois aqui no blog...

manga, papaia, abacate, mamão... podem entrar na alimentação dos pequeninos juntamente com a maça, pêra, banana... escolher frutos da época é importante, além de serem mais económicos são mais ricos nutricionalmente, porque atingiram a sua maturidade natural.

acho que já vos tinha contado que a Clarinha tem raízes brasileiras, ou melhor, a C é metade brasileira e no Brasil já é época de mangas, eheheh... por isso, é fruta da época!


e como brasileira a C adorou comer manga e até "raspou o tacho" como se costuma dizer... aos poucos vou introduzir mais frutos tropicais na alimentação da minha pequenota.

a receita do puré de manga já está em pratos e pratinhos!

beijinhos da Cláudia e da Clarinha



Puré de Manga

Ingredientes:
1/2 manga madura, fresca e não fibrosa

Utensílios:
Varinha-mágica
Recipiente
Faca

Lave e desinfete a manga. Remova a pele da manga e separe toda a polpa do caroço; deve ficar com cerca de 120 g de manga. No recipiente coloque a polpa em cubos e use a varinha-mágica até ficar um puré macio.

Dificuldade: * (fácil)

----------

23 de novembro de 2014

o colinho da mamã é tão bom...

a pediatra, nos cursos de preparação para o parto, nas aulas do pós-parto, nos livros e muito mais... sublinham muitas vezes a importância de o bebé adormecer desde cedo no seu berço e começar a dormir no próprio quarto antes dos 6 meses...

...o bebé deve iniciar "a sua independência" para adormecer sozinho desce cedo, mas nós mamãs também devemos "esticar" mais um pouquinho o cordão umbilical... afinal queremos que o nosso filhote cresça e desenvolva todas as suas capacidades!

MAS aquele momento em que o nosso bebé adormece no nosso peito, ouvindo o som do nosso coração... tal e qual como quando estava dentro de nós é TÃO BOM que não os queremos largar!

hoje a Clarinha adormeceu no meu colo... já não acontecia há algum tempo... desde 1 mês de idade que adormece no berço ao som do seu mobile, mas o SENTIMENTO é tão BOM... gosto tanto de ter a minha pequenina coladinha a mim... e acontecer em dias especiais não tem mal nenhum... e nós gostámos tanto!

 

mamãs... e papás, claro... vamos aproveitar todos os momentos com os pequeninos, eles crescem tão rápido!

21 de novembro de 2014

iogurte? hum... acho que não gosto!

ao provar iogurte pela primeira vez a Clarinha estranhou desde logo o sabor... não comeu com a mesma vontade dos outros alimentos... sopa... fruta... papa... e estava muito irrequieta! Mas lá comeu tudo...



ao provar pela segunda vez... fez BIRRA... e não comeu... mas na próxima refeição voltei a tentar e ofereci o iogurte à C e ela comeu tudo... mas sempre de "nariz torcido"...

como o tempo está mais frio e o iogurte não é o nosso lanche de eleição por ser frio... logo, é compreensível que os bebés também não o apreciem... uma DICA: retirem o iogurte do frigorífico duas horas antes da hora do lanche do bebé, à temperatura ambiente o bebé já o vai aceitar melhor! se por alguma razão se esqueceram, podem usar o banho-maria, mas só um pouco, o objetivo não é ficar quente... nem deve!

falando um pouco do iogurte... este alimento pode ser introduzido por volta dos 6 meses, eu introduzi um mês mais tarde na alimentação da C e optei por um iogurte feito a partir de leite de transição e não leite de vaca, como é normal... porque é o leite mais adequado para os bebés.

existem, pelo menos, duas marcas que têm este tipo de iogurte na sua gama de produtos... um deles é "O Meu Primeiro Danone" que está disponível nas variedades natural ligeiramente açucarado e maçã, pêra e banana. 


tem as vantagens de ser feito a partir de leite de transição e de ser adequado para crianças celíacas, mas tem a pequena desvantagem de ser açucarado... eu não sou totalmente contra a alimentos açucarados, apenas sou da opinião que os primeiros alimentos do bebé devem ser não açucarados... o bebé tem toda a vida para comer alimentos açucarados... é importante educarmos os nossos bebés com uma alimentação saudável desde cedo... "de pequenino se torce o pepino"


e depois temos "o teu primeiro pingo doce", o meu iogurte de eleição, muito semelhante ao danone mas sem açúcares adicionados, tornando-se o iogurte mais saudável para bebés desde os 6 meses...

DICA: para o sabor do iogurte não ser monótono, podem começar pelo não açucarado e depois de o bebé aceitar o sabor, introduzir os outros dois sabores...

posteriormente, vou falar-vos dos iogurtes para os bebés mais crescidos...

beijinhos da Cláudia e da Clarinha

19 de novembro de 2014

o peixe é o alimento de hoje!

a Clarinha já tem 7 meses e hoje  experimentou pela primeira vez sopa com peixe, saboreou a primeira colher... sentiu uns gruminhos diferentes, mas adaptou-se rapidamente ao novo sabor...


o peixe, tal como a carne, é fornecedor de proteína, mas também de gorduras boas, as não saturadas, diferentes das presentes na carne... são importantes para o desenvolvimento do cérebro e da visão.

ao longo dos anos anteriores a introdução do peixe na alimentação dos bebés acontecia nos últimos meses do primeiro ano para prevenir o risco de alergias, mas atualmente, verifica-se que a introdução tardia não ajudou a diminuir as alergias e até pode prejudicar, assim é mais sensato introduzir o peixe mais cedo... a partir dos 7 meses.

mas o peixe tem espinhas!... atualmente é fácil encontrar lombinhos de vários tipos de peixe ultra-congelados e sem espinhas, tal como a pescada, cavala, linguado... peixes magros e pequenos.

os peixes gordos como o salmão e o atum, e o nosso bacalhau também são ótimos mas devem ser introduzidos mais tarde, por volta dos 10 meses, devido ao forte paladar e à elevada quantidade de gordura por serem mais difíceis de digerir e tolerar.

mas nem sempre peixe... nem sempre carne.. hoje e amanhã será sopa de peixe e depois voltámos à carne dois dias para depois, experimentar o próximo peixe... quando a C começar a almoçar e a jantar começamos a intercalar no mesmo dia... peixe ao almoço, carne ao jantar e vice-versa...

os ingredientes da sopa de hoje foram quatro hortícolas que a C já tinha provado: curgete, couve flor, cenoura e brócolos... cozidos a vapor e triturados... com pescada finamente desfiada e um fio (1 c. chá) de azeite. 


mas o jantar não precisa de ser sopa como no almoço... posteriormente no blog... dicas para refeições diferentes!

beijinhos da Cláudia e da Clarinha

Prevenar e Rotavírus... a última dose!

Como o dia-a-dia da Clarinha não é só alimentação e eu antes de nutricionista sou mãe... decidi começar a escrever sobre alguns momentos da minha pequenina... saúde... brincadeiras... passeios... e muitos outros.


Ontem foi dia de concluir a vacinação da Prevenar e Rotavírus com a terceira dose... e tal como nas outras duas, é como se não se passasse nada... pouco chora, faz apenas um gemido e logo está pronta para brincar :D Na primeira consulta da C com a pediatra, a doutora recomendou estas vacinas, e depois de alguma pesquisa, decidimos pela vacinação.


A Prevenar 13 é uma vacina contra a doença invasiva pneumocócica, ajuda a proteger a criança contra a meningite (inflamação à volta do cérebro), bacteriemia ou septicémia (bactéria na corrente sanguínea), pneumonia e otites, causadas por 13 tipos da bactéria Streptococcus pneumoniae.


A Rotavírus (que pode ser RotaTeq-3 doses ou Rotarix-2 doses) é uma vacina oral que ajuda a proteger os bebés e as crianças pequenas contra gastroenterites provocadas pelo rotavírus. 
Por ser uma vacina que o bebé precisa de beber sem a desperdiçar, esse momento deve ser num local calmo e as pessoas perto do bebé também devem estar calmas. 
Com esta vacina são precisos alguns cuidados: até dez dias após a vacinação a higiene das mãos a cada muda de fralda deve ser minuciosa e nunca esquecida, uma vez que pode haver excreção de vírus vivos da vacina nas fezes, podendo desencadear no cuidador sintomas de gastroenterite.

Estas vacina podem ser administradas nas datas das vacinas obrigatórias, mas deixo-vos uma dica: para não sobrecarregar o bebé com três vacinas (duas que provocam bastante dor) optem por escolher datas aos 3, 5 e 7 meses... as deslocações vão ser mais, mas o nosso bebé não sofre tanto... e até podem aproveitar para passear!

Caso estejam curiosos sobre os preços destas vacinas que não está incluídas no plano nacional de vacinação (erradamente, na minha opinião), deixo-vos o valor máximo que pode ser cobrado por cada dose destas duas vacinas:
  • Prevenar 13: 59,49 euros/dose
  • RotaTeq: 51,18 euros/dose
Mamãs e papás qual a vossa opinião sobre estas vacinas?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha


18 de novembro de 2014

a batata-doce e os legumes da sopa

a batata-doce! já conhecem?... um tubérculo muito semelhante à batata, mas mais adocicada... na sopa troco pela cenoura ou pela abóbora.


a Clarinha no início estranhou o sabor, mas à segunda colher já "devorou" a sopa como sempre faz... 

este tubérculo é um exemplo de como podemos variar a sopa dos pequenos e dos adultos! neste momento a sopa da minha pequenina tem quatro variedades de legumes/tubérculos, já experimentou muitos mas as provas continuam... o importante é variar... 


... para ajudar a escolher os ingredientes da sopa esta tabela divide os hortícolas por cores... assim é só escolher um ou dois de cada cor até cinco hortícolas... e porquê cinco? cinco é o número ideal, permite uma sopa rica nutricionalmente e sentir todos os diferentes sabores.

para os "pequeninos mais crescidos" a sopa não deve ser sempre na forma de creme, desde os primeiros dentinhos que a sopa já pode ter grumos e depois até legumes em pedaços...

e receitas de sopas criativas conhecem?

beijinhos da Cláudia e da Clarinha

14 de novembro de 2014

a papa perfeita - parte II

ao lanche a Clarinha comeu papa de aveia... surgindo assim mais uma parte para a papa perfeita, ou melhor, a papa caseira...

o que quero dizer com papa caseira? é aquela feita com a farinha mais básica, que até temos sempre em casa, misturando apenas com o leite habitual do bebé, leite materno no caso da C. Sem adicionar açúcar, mel ou mesmo sal, é uma papa saudável composta pelos ingredientes que o bebé precisa, sem aditivos nem conservantes.

pode ser uma papa de aveia, papa de milho, ou mesmo a famosa papa maisena, mas ATENÇÃO antes de escolher a farinha precisam de saber que não devem ser integrais, os bebés não precisam de grandes quantidades de fibra, essa fibra até pode ser prejudicial devido à imaturidade intestinal dos pequeninos e devem ser sempre cozinhados para melhorar a digestibilidade.

para vos ajudar deixo-vos a receita da papinha de hoje...


ingredientes . 4 c. sopa (28g) farinha/farelo de aveia . 50mL água . 100mL leite habitual do bebé

preparação . numa caçarola cozer a aveia na água em lume médio durante 5-10 minutos, sem deixar de mexer . retirar do fogão e no prato do bebé, em banho-maria, adicionar, gradualmente, ao preparado anterior o leite, até obter a consistência desejada.

notas . farinha/farelo de aveia, comprei já na forma de farelo, mas é possível comprar os flocos de aveia e triturar em casa . banho-maria, uso durante a preparação da papa para manter a temperatura até à hora de dar à C.

a papa maisena será uma das próximas receitas...

beijinhos da Cláudia e da Clarinha

12 de novembro de 2014

como armazenar leite materno?

Por várias vezes falei sobre a extração do leite materno para usar mais tarde... mas sabemos como armazená-lo? E por quanto tempo? Vamos lá esclarecer este assunto...


Depois de extrair do leite devemos armazená-lo imediatamente para garantir a sua qualidade e a segurança para o bebé. Podemos fazê-lo no próprio frasco da extração ou noutro frasco de plástico ou vidro, ou até em sacos de plástico próprios, à venda em farmácia e para-farmácias. É importante não esquecer de colocar um rótulo com o dia da extração.

O leite deve ser armazenado no frigorífico ou no congelador, em doses individuais conforme as necessidades do nosso filhote. Essa dose pode não ser atingida com uma só extração ou mesmo num só dia. O que devemos fazer? ... é possível juntar leite de várias extrações, quando tirar leite uma vez congela-o, na próxima vez arrefece o leite no frigorífico e quando estiver frio junte ao congelado... não devemos congelar o leite ainda quente ou juntá-lo ao frio.

Depois quando precisámos, basta usar o leite mais antigo... descongelar uma dose de cada vez, lentamente no frigorífico, durante várias horas. Mas se for preciso descongelar mais rápido basta usar o banho-maria. O microondas não deve ser usado para descongelar ou aquecer o leite porque destrói as características do leite, assim como o ato de ferver.

Agora, durante quanto tempo podemos armazenar o leite materno?... depende do local onde é armazenado, a figura seguinte ajuda a explicar...


Espero ter ajudado... amanhã, mais uma parte sobre a papa perfeita...

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

10 de novembro de 2014

Começar a DA: o que preciso?

Ao longo das últimos posts tenho falado dos variadíssimos temas da DA, mas ainda não falei sobre o planeamento necessário para o seu início. Entre as várias coisas necessárias, algumas delas pode já ter em casa, outras terá de adquirir escolhendo aqueles que mais se adequam a si e ao bebé! Vamos lá enumerar as coisitas:

Cadeira alta
Deve ser fácil de limpar. Ter apoio acolchoado e cinto de segurança, Barreira frontal e entre-pernas. Acredito que as cadeiras sem tabuleiro integram muito melhor o bebé na refeição familiar, uma vez que começa desde cedo a comer à mesa. Podem ver o exemplo da cadeira da Clarinha! Se o bebé ainda não se adaptar à cadeira podem usar a cadeira auto ou a espreguiçadeira.

Prato, colheres e copo bocal
O prato deve ter o tamanho adequado à idade do bebé, prevenindo o excesso de comida. As colheres devem ser de material mole não magoando as gengivas do bebé e pequenas para caberem na boca.
A partir dos 6 meses, o leite e outras bebidas devem ser dados num copo. O líquido deve fluir livremente, mas não muito depressa. As pegas de agarrar são essenciais.

Cozedor a vapor

Uma forma rápida e fácil de cozinhar os alimentos. Destacando-se por ajudar a preservar os nutrientes, evitando que estes se percam na água de cozedura. Um cozedor a vapor para microondas também pode ser muito útil.
Varinha mágica
Essencial para triturar a comida do bebé, cria uma textura semelhante a uma creme.

Esmagador
Perfeito para criar texturas mais grumosas para mais tarde. Um pequeno permite esmagar doses pequenas de alimentos.
Caixas pequenas
Ideais para congelar, armazenar e reaquecer a comida. Servem até como prato e a tampa permite o transporte.
Babete
Os bebés sujam-se muito e tanto as babetes de plástico lavavéis como as com uma curva na base são úteis. Mais uma vez escolha a que mais se adequa ao bebé, até pode ser uma de algodão.
Garrafa térmica
Não posso dizer que é essencial, porque facilmente se encontra um microondas para reaquecer a comida do bebé, ou até podemos pedir para reaquecer no restaurante. Mas é sempre útil para transportar a comida mantendo-a quente, ou mesmo fria, durante várias horas.



Existem mais acessórios que podem ser úteis, como por exemplo um processador de alimentos, mas estes são os que considero essenciais e de custo acessível.

E vocês, têm outras coisinhas úteis?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha

7 de novembro de 2014

a primeira papa da Clarinha... e algumas dicas!

Hoje a Clarinha experimentou papa pela primeira vez... uma papa de arroz da Nutribén... das que falei ontem.


Com podem ver foi uma diversão... manga arregaçada, babete super suja, mas o que importa é que a Clarinha ADOROU! embora estivesse um pouco distraída :) 

Agora algumas dicas:
Quantidades?
A embalagem da papa vem com uma tabela de medidas, mas eu não segui muito essa tabela porque quero começar com a mesma quantidade de sopa (150 mL) e depois aumentar gradualmente conforme a necessidade da minha filhota. 

Como preparei?
150 mL de leite materno morno/quente com 5-6 colheres de sopa de farinha, relativamente à tabela não respeitei a quantidade de leite para a idade mas segui as indicações para o número de colheres para a idade. 

Consistência?
Eu opto por uma consistência mais espessa, a C não "desperdiça" tanto, como a minha princesa ainda chucha um bocadinho na colher, assim "fica" mais facilmente na boca... Mas depois vocês escolhem o número de colheres conforme a consistência pretendida, mas não coloquem mais farinha do que o indicado na tabela porque as porções são feitas de acordo com as necessidades dos bebés.

Leite morno ou quente?
Como uso leite materno não o posso ferver porque perde as suas propriedades, mas aqueço em banho-maria até estar bem quente, assim quando terminar de fazer a papa, esta já está à temperatura perfeita para dar à C.

E vocês conhecem mais dicas?

Beijinhos da Cláudia e da Clarinha





6 de novembro de 2014

a papa perfeita - parte I

Quando chega o momento de escolher a primeira papa do nosso bebé delineamos vários critérios e depois iniciámos uma caça ao tesouro...

Os meus critérios:
- sem glúten: a partir dos 4 meses; 
- com glúten: depois dos 6 meses, embora existam evidências de benefícios da sua introdução mais precoce, mas isso fica para outro post;
- não láctea: para misturar com o leite habitual do bebé (materno ou artificial);
- não conter mel nem citrinos: está descrito que só devem ser introduzidos aos 12 meses;
- sem adição de açúcar: critério muito difícil de atingir;
- não conter frutas que a bebé ainda não experimentou: papas multifrutos estão fora de questão para já.

Até não são critérios inatingíveis... agora a "caça ao tesouro":

Depois de uma busca em mercados, farmácias e para-farmácias e pesquisa online eis três papas:




Esta encaixa-se perfeitamente nos critérios, sem qualquer adição de açúcar.

Depois temos estas...




Sem adição de sacarose, mas com adição de maltodextrina, um hidrato de carbono de absorção lenta mas que atribui ao alimento um sabor doce... mas depois falo-vos dessa tal maltodextrina no post 4...

Claro que não podemos esquecer as papas caseiras como papa de aveia, papa maisena... que ficam para o post seguinte... e as biológicas no próximo!

E vocês conhecem alguma que se encaixe nos critérios? Pode ser marca branca, Milupa que não encontrei online, ou outra...


Beijinhos da Cláudia e da Clarinha



5 de novembro de 2014

alimento de hoje: a banana!

Boa noite papás!

Hoje a Clarinha provou banana pela primeira vez, e tal como aconteceu com as outras frutas, ADOROU! Esta fruta é a mais fácil de preparar, basta amassar com um garfinho e está pronto a comer. 

Mas ATENÇÃO! Não adicionem sumo de laranja... adicionar umas gotas de sumo de laranja pode ser instintivo para a banana não escurecer, por isso é importante alertar que os citrinos, nos quais estão incluídos a laranja e o limão, só poderão ser introduzidos na alimentação diária do bebé aos 12 meses. 



Existem outros frutos que só devem ser inseridos aos 12 meses devido à sua potencial reação alérgica pelo bebé... mas esses ficam para um próximo post...

4 de novembro de 2014

a agenda de provas da C

Curiosos sobre como está a avançar a introdução dos novos alimentos da Clarinha? Aqui está a agenda que acompanha as provas da C!

Como podem observar, amanhã, a C, com a banana, termina a prova de todas as frutas o que vai permitir variar a sobremesa ao almoço. 
A partir dos 7 meses vou introduzi os frutos tropicais (manga, papaia), como não existem evidências de reações adversas não há problema em inserir na alimentação da C, assim até lhe vamos mostrando um pouco das suas raízes brasileiras!

Ao lanche vai começar a comer papa de cereais de três em três dias, iniciando com uma sem glúten (arroz) e depois vai intercalar com uma com glúten (aveia) misturadas com leite materno.
As papas não devem substituir a sopa, mas são um dos alimentos perfeitos para o lanche!

E vocês, como está a avançar a diversificação alimentar dos vossos filhotes?!